O couto de Aboim localizava-se na encosta do monte de Anófrice, onde em tempos remotos existia um castro com o mesmo nome. Daí saiu, ao que parece, o topónimo de Anóbriga.

Este couto ocupava uma grande área, a qual abrangia algumas das actuais freguesias do concelho de Vila Verde e também algumas do de Ponte Barca.

Tudo indica, que faziam parte do couto de Aboim, as seguintes freguesias do concelho de Vila Verde: Aboim da Nóbrega, Penascais, Valões e Covas bem como o lugar de Cizão da freguesia de Barros. Mais ainda, as seguintes, que agora estão incluídas no concelho de Ponte da Barca: Cuíde de Vila Verde, Entre Ambos os Rios, S. Silvestre de Ermida e S. Tiago de Vila Chã.

A sede do Couto estava no lugar do Outeiro – na freguesia de Aboim. Aí, na Torre e Casa que mandara edificar, tinha o donatário a sua residência donde administrava civil e militarmente os seus domínios.

Com carta de couto passada pelo Rei D. Afonso II ou pelo seu filho D. Sancho, este couto é um dos primitivos e mais antigos territórios do actual concelho de Vila Verde.

Fonte: Serra Nevada (1994)