D. Pedro Ourigues, Rico homem de D. Afonso II, nomeado por esse rei camareiro do seu filho Infante D. Afonso, futuro conde de Bolonha e depois Rei de Portugal. Foi fiel vassalo de D. Sancho II, o qual foi príncipe herdeiro do reino de Portugal. Não se alheou o fidalgo de Aboim dos acontecimentos que levaram à deposição de D. Sancho II, nem das lutas em que se envolveu com o seu irmão.

Fidalgo dos mais importantes no seu tempo, vamos encontrá-lo no inicio do acontecimentos (mais propriamente a 6 de Setembro de 1245) em companhia de seu cunhado D. Gomes Viegas, senhor do couto de Vila Verde. Fazia parte do grande séquito de cavaleiros e prelados que se deslocavam a Paris, para se avistarem com D. Afonso, conde de Bolonha.

Além dos dois citados cavaleiros, fidalgos donatários e senhores de áreas parcelares de antigos territórios do actual concelho de Vila Verde, encontram-se com o conde, em Paris, outras personalidades, nomeadamente: Estevão Enes, Rodrigo Gomes de Briteiros, o Arcebispo de Braga, um procurador do Bispo de Coimbra, alguns franciscanos e dominicanos e ainda o chanceler de Paris. Neste encontro com o futuro Rei D. Afonso III, D. Pedro de Aboim e restantes companheiros conseguiram que o conde se comprometesse a cumprir uma série de promessas destinadas a garantir as liberdades da igreja, fazendo assim parte activa do Pacto de Paris.

Fonte: Serra Nevada (1994)